terça-feira, 15 de maio de 2007

Retratos de Varsóvia e arredores

Finalmente após várias promessas consigo arranjar um buraquinho de tempo para deixar aqui algumas fotos, já com o computador refeito e a internet a funcionar. Esta primeira é de uma rua em Żoliborz, um bairro a norte de Varsóvia. Lê-se "jólibóch"; diz a tradição que uma rainha francesa, esposa de um rei polaco, gostava muito daquela zona da cidade e apelidou-a de "jolie bord", literalmente margem bonita, pois esta zona fica também perto do rio. O tempo adulterou estas palavras e tornou-as Żoliborz. Ainda hoje há muita gente que diz que esta é a zona mais bonita da cidade. Eu realmente não sei dizer, conheço muito pouco dela. Esta foto tirei porque achei piada às casinhas baixas e às árvores (ainda com poucas folhas aqui). Quem conhece minimamente Varsóvia certamente não se lembrará de ter visto algo assim, pois a maioria do que se conhece é tudo blocos de betão.
Na semana dos feriados tinha pensado ir até Cracóvia, mas acabei por mudar de ideias. Guardo essa viagem para depois. No dia 3 de Maio, como penso que já disse, é feriado por dois motivos ver bandeirinhas por tudo quando é sítio. Mas atenção, nada de bandeirinhas penduradas nas janelas de casa ou do carro, como muito gostam os bons portugueses. Aqui são bandeiras mesmo a sério. Praticamente todas as casas, estabelecimentos, estações de metro, etc têm o seu sítio especial para colocar bandeiras. Não havia sítio que não tivesse bandeira à mostra! Muito patriótas, estes polacos. Acabei por ir passar esse dia a Częstochowa, cidade polaca situada a uns 200km de Varsóvia e que desempenha um papel muito importante na história aqui da zona. Gostava de contar aqui a história, mas não sei ao certo. Sei episódios soltos, mas nada suficientemente bem estudado para poder contar. Durante a viagem pude ir apreciando as estradas polacas. Aqui há muito poucas auto-estradas, como é normal nós fomos numa estrada nacional. Agodiferentes: é a festa da constituição (para quem não sabe, a constituição polaca foi a primeira a ser redigida em toda a Europa) e ao mesmo tempo a festa de Nossa Senhora Rainha da Polónia. Neste dia e nos dias antecedentes e seguintes éra, para quem começou a pensar na antiga estrada nacional de ligava Lisboa ao Porto antes de haver a A1, ou até na que vai para o Algarve e onde esturricávamos durante a viagem, desenganem-se. Estas estradas nacionais de que falo não têm nada a ver. Claro que também há de tudo, mas esta em que fui, que liga Varsóvia a Wrocław (antiga Breslau), tem duas faixas para cada lado, piso óptimo, praticamente sempre recta, sem altos e baixos (lá está, é o que dá estar na maior planície da Europa). O único senão é que, como não é auto-estrada, não está fechada, então volta e meia aparecem uns cruzamentos. E pensam vocês: bem, grandas malucos! Isso é perigosíssimo! E respondo eu: é, pois! Mas se a pessoa for sem atenção. Antes de qualquer cruzamento aparecem sinais a avisar para reduzir a velocidade máxima para 70km/h. Parece ridículo, mas não é e resulta melhor do que eu pensava. Ao princípio achei uma seca de viagem se tivesse de ser sempre assim, mas até nem é. E volta e meia lá estão alguns polícias escondidos a apanhar os mais distraídos. Em alguns cruzamentos até há semáforos. Tem piada. Se formos minimamente dentro destas regras conseguimos fazer bem a viagem. Nós fizemos um tempo óptimo. No regresso vimos em sentido contrário um acidente brutal, precisamente num desses cruzamentos. Há sempre uns chicos-espertos que acham que não vale a pena travar um bocadinho durante uns 2 minutos e depois tramam-se. Enfim...
Continuando, em Częstochowa almoçámos, passeámos um bocadinho e depois fomos à Missa no Santuário da Virgem Negra. Resmas de pessoas, como seria de esperar, apesar da maior enchente ter sido de manhã. No fim ainda deu para comermos um gelado num café chamado Claromontana, tal como todos os outros sei lá quantos estabelecimentos das redondezas, sejam cafés, livrarias, lojas de souvenirs, etc, etc. Isto porquê, porque aquela zona chama-se Jasna Góra, o que significa monte claro. Claromontana, estão a perceber? Eu só não percebi o porquê do substantivo e do adjectivo não concordadem em género, mas isso...
Foi uma viagem mais ou menos relâmpago, porque tínhamos de estar em Varsóvia à hora do jantar. No dia seguinte fomos a uma pequena vila a sul de Varsóvia onde há um castelo antigo, em parte reconstruído. Aquela zona foi palco de várias batalhas, incluindo durante a IIª Guerra Mundial. Antigamente, o rio Vístula chegava até ali perto, o que fazia do castelo uma fortaleza muito bem situada. Agora, o rio passa a uns 2km dali. Pelo que percebi, naquele castelo viviam os príncipes que governavam toda a região da Mazóvia, onde se situa Varsóvia. Este castelo tem três torres, duas das quais se podem visitar. A vista é espetacular, porque só se vê campo a toda a volta e algumas povoações.
Neste dia encontrámos também uma mini praia fluvial. Estava imenso calor, mas a água do rio não parecia assim muito limpa e a areia também deixava um bocadinho a desejar. Durante qualquer uma das viagens estiveram dias lindos e deu para apreciar bem a paisagem. É giríssimo ir no carro e, naqueles sítios onde não há vilas, olhar para todos os lados e ver tudo super plano, nada de montesinhos nem nada que se pareça. É engraçadíssimo.
Ontem aqui já esteve finalmente um dia de Verão, com imenso calor. Já no Domingo também tinha estado muito bom tempo. Hoje, porque toda a gente se vestiu à fresquinha, o tempo começou a virar e ficou mais fresco. É uma espécie de Lei de Murphy daqui, que quando tudo indica que vai estar bom tempo, afinal não está. Espero poder vir a contrariar esta regra muito em breve.
Para já não tenho mais fotos interessantes, este fim de semana foi passado grande parte em lojas de móveis, o que significa uma seca desgraçada. No Domingo estive nos jardins do palácio de Wilanów (já pus aqui uma vês fotos deste palácio). Há fotos, mas eu ainda não as tenho.

5 comentários:

Anónimo disse...

Enfim, umamuito agradável descrição e fotos bem bonitas! Sobretudo aquela da Virgem Negra entre 2 janelas. Onde encontraram? E quem são as figuras em baixo? E a paisagem com uma arvore e tudo amarelinho lá ao longe. Que lindo!!!
Podes enviar-me essas 2 fotos por e-mail para armazenar. Please?

Kuíne-Madar

Anónimo disse...

É bom saber que andas a ver coisas bomitas por aí, e que as partilhas connosco. Aqui está a fazer um calor tal, hoje que anda tudo esbeforido com o calor, e só se está bem debaixo de ar condicionado ou em aulquer sítio longe do sol. Veremos se a tal lei de Murphy, de que tanto falas, se mantém e temos chuva para o fim-de-semana! Esperemos que não. Já sabes que o Francisco Monteiro vai fazer a sua primeira comunhão no domingo, dia 20 de Maio? E que a Francisca já fez a sua primeira comunhão?
Beijos aos nubentes!
Josefina

Anónimo disse...

Que fotos bonitas! Que saudades!!
muiiiiiiiiiitos beijitos!
nanduska ( nanda)

Marta disse...

caso não te tenham dito esteve a chover no fim de semana...

mvs disse...

Hahahahaha... lei de Murphy no seu melhor!!